sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Quem dera...


Quem me dera fosse ar
Para acariciar teu cabelo
Tocar teu lábio com beijo
Como uma brisa, sentimental!
Quem me dera fosse água
Para te refrescar em dia quente
Descer em teu corpo eloqüente
Oh musa, imortal!
Quem me dera fosse terra
Pra beijar os teus pés lentamente
Te sustentar sutilmente
Pro teu corpo, pedestal!
Quem me dera fosse fogo
Para aquecê-la por inteiro
Fazer brotar o desejo
Do amor, incondicional!

Por: T.J.

 
© Por Thiago Galdino -18/12/2011 - Direitos Autorais Reservados.

3 comentários:

  1. Parabens Thiago...Linda sua poesia, vc escreve muito bem... :D

    ResponderExcluir
  2. nossa que lindo!
    voce esta de parabens.
    beijo.

    ResponderExcluir
  3. Quem dera fosse eu a musa inspiradora dessa estória...

    ResponderExcluir